quarta-feira, 6 de julho de 2016

Fé, Fidelidade, Felicidade

    Tanto fé quanto fidelidade têm a origem do latim "fides", que também se traduz como confiança. Assim sendo, fiel é aquele em quem sua fé pode ser depositada.
    Sabemos o que é fé, e sabemos o que significa depositá-la, mas, o que define a possibilidade de a depositarmos ou não? Creio que isso exija uma clarificação maior do conceito que usamos para a fé, um tanto diferente do original.
    Fé, seja em alguém, seja em uma entidade superior, é, para nós, uma medida de desespero, e também de calma. É confiar parte de nosso bem estar a algo ou alguém, e esperar sinceramente que esse algo ou alguém não nos decepcione, não traia essa confiança.
    Isso nos traz mais conceitos para se pensar. O que nos decepciona é algo muito pessoal, e da mesma forma passa a ser o significado de traição. Sendo assim, tão pessoal, é impossível que a outra pessoa conheça por completo a nossa definição, dado que há diferenças, e, portanto, que haja inteira concordância. Em outras palavras, nunca seremos plenamente atendidos em nossa fé e, portanto, ninguém nunca será realmente fiel, por mais próximo que chegue.
    Por isso, esqueçam os relacionamentos perfeitos, as relações interpessoais de harmonia plena, a imagem ideal de situação social. Sempre haverá frustração e decepção. E não se enraiveçam com a constatação. Não são coisas inteiramente ruins. Nos basta aceitar, analisar e aprender com cada uma delas, para que as chances de frustrarmo-nos e decepcionarmo-nos seja cada vez menor.
   
    Problemas sempre existiram. Sempre existirão, sempre existiram.


    (Sobre felicidade, a raiz "felicis" se traduz como afortunado, lembrando que fortuna não se trata de dinheiro, e sim de bons acontecimentos. A tradução para o nosso conceito de felicidade seria "beatitudinem", cuja palavra derivada na língua portuguesa, beatitude, ironicamente é tida como algo afastado do conceito dado para felicidade)

 P.S.: Conversei sobre o assunto com meu querido amigo Rômulo "Jesus", e ele deixou o questionamento (ainda não respondido) "seria a beatitude palavra análoga a boa atitude?". Muito perspicaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário