terça-feira, 17 de março de 2015

Um dia excepcionalmente nostálgico

Hoje as lembranças vieram em torrente. O dia inteiro.
A Amanda não saiu da minha cabeça a maior parte do dia, e, quando não foi ela, foi o Pedrinho. Chorei, até. Vi um cara com a camiseta igual à dele, vermelha e com o sinal da paz, e foi foda.
Ah, por falar em camiseta, não vejo camisetas de banda aqui! Vejo muitas camisetas de seriados e filmes (todas estilizadas, nada das estampas padrão, com exceção da já comum camiseta do Jake, de Adventure Time), de grupos universitários (o pessoal realmente veste a camisa), e de times de futebol, mas não vejo nada referente às bandas. Estranho.
Em química, tive uma aula de física. O professor insistiu em nos ensinar a importância do anteparo nos experimentos e, obviamente, Derick, Zébi e Malevo vieram à lembrança. Dias felizes, aqueles.

A nostalgia de hoje tá me deixando num clima meio pesado. O cansaço físico também.
O sedentarismo de não precisar mais subir a lomba de casa todos os dias me deixou numa situação de adaptação mais complicada aqui, quando tenho que andar razoavelmente pra pegar o ônibus que vai pro Fundão.

Acho que isso me deixou um tanto intolerante, hoje. Ontem, adorava o modo do professor de Cálculo I dizer "bamos a graficar las funciónes". Hoje, o professor de Química, francês, falava como o Leôncio (aquele do Pica Pau), com o R arrastado até em palavras com um R entre duas vogais, além de adicionar um A no fim de cada palavra terminada em S ("moléculas-a" foi a campeã do dia em número de repetições). Não gostei, e isso se refletiu na maneira como eu não consegui prestar atenção no que ele dizia, mesmo acompanhando o assunto. Se é pra ser assim, prefiro a tia Laci chamando os "nêni-hier", que soa mais bonito.

Ah, e tava demorando pra eu ser bocó. Hoje fui. Não vi que tava chovendo, e saí de alpargata. Com sola de corda. Até agora não secou, e eu deixei na janela da área de serviço, porque no quarto, fechado, não aguentaria o cheiro. Pois é. Definido: quando for pro Sul, compro uma alpargata nova. De couro.

Agora, durmo, que é pra aguentar o dia, amanhã. Tem matéria nova, em laboratório, e de manhã!

Nenhum comentário:

Postar um comentário