quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Do tempo



Contou-nos o mestre que o tempo não existe; é mera invenção humana, devaneio de uma mente desesperada por um meio de registrar as mudanças.
Oras, mas, se o tempo não existe, nada muda de verdade, senão nossas percepções!
Ontem felicitei-me por completar três meses de namoro. Houve tempos em que disse “passou tão rápido”, mas também houve quando eu dissesse “parece que faz tanto tempo”! E essa percepção mudou à medida que me ocupava muito mais com viver cada instante que passava e muito menos com registrar o tempo.
Percebi, então, que inventei a mudança. Não inventei fato algum, mas, se o tempo não existe, não há diferença entre o antes e o agora. As coisas apenas eram e agora são.
E isso, invariavelmente, me leva a refletir sobre cada instante que vivi até aqui. Cada aprendizado e cada vivência na Liberato. Porque, disse-nos outra mestra, nosso tempo aqui agora é curto. E a cada dia finda mais. Percebo o tempo urgindo, mas, ele não existe; é mero devaneio de minha mente, desesperada por saber que muito em breve tudo para o que venho me preparando nesses últimos cinco anos há de se tornar a minha realidade, e eu deixo no tempo passado o momento de preparação aqui vivido.
Mas engana-se quem pensa que é o fim. Se invento o tempo e invento, também, a mudança, atrevo-me a dizer que as mudanças que nós, dessa turma que se vai, deixamos na Liberato não hão de se apagar. Cada momento, cada riso, cada dificuldade e cada aprendizado, continuarão a existir no tempo passado da Fundação; Tempo, esse, inventado em conjunto por todos nós. E, vivendo no tempo inventado por nós, concluo, com toda a certeza que me cabe, que essas mudanças, esses momentos, carregaremos conosco, até o fim de nossos dias, gratos por termo-los vivido.
______________________________________________
Texto feito a pedido do orientador educacional do Curso Técnico de Eletrônica da Fundação Liberato, para a ocasião do último conselho de classe participativo da nossa história na escola. Vale a reflexão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário