sábado, 2 de julho de 2016

"Acidistic", e daquilo que eu nunca disse aos cariocas

You have the brightest set of pencils,
even when my world is all about grayscales and sober tones.

You paint your world. You paint the entire world. Would you put your colors into mine?


___________________________________________________________________


Nunca cheguei a colocar em palavras meu sentimento sobre toda essa história do Rio de Janeiro.
Acho que nem eu sei direito como é.
Sei que sinto saudade de coisas, de pessoas, de sensações que só existem lá.
Ver o sol nascendo no Arpoador parece ter um efeito mágico sobre mim.
Copacabana me fez mudar a maneira de pensar desde a primeira noite em que lá senti os pés na areia.
Mas a vida não é feita só de momentos. A vida é um contínuo, e, por isso, é impossível não lembrar dos maus bocados que por lá passei. Eu precisaria de um motivo muito mais forte se quisesse enfrentar a vida daquele jeito.
Aos cariocas da minha vida: amo vocês ♥ Nunca vou conseguir retribuir tudo o que fizeram por mim. O modo como me receberam. O quanto eu cresci nesses meses. Espero mesmo que venham me visitar, como alguns já fizeram, e espero eu dar uma pausa nos trabalhos pra ir ver como vocês estão.
Alguns começaram namoros, outros terminaram. Alguns começaram a trabalhar, outros resolveram ter uma folga. Sei de gente que tá fazendo sucesso por lá.
Porque a vida é um contínuo, e eu vou continuar vivendo.
 
___________________________________________________________________


Um mundo cru.
Um pouco cruel.
Sem tratamento,
Sem cada nuance,
Sem cada detalhe.
Um mundo cru.

Nada se vê.
Nada se faz.
Nada se sente.
Um mundo cru.

Por que seria?
Digo, por que haveria de ser?
Sabendo que, num mundo cru,
Não poderia haver eu e você?!

Nenhum comentário:

Postar um comentário