terça-feira, 7 de maio de 2013

Só esperem o inesperado!

De mim, pelo menos, é o que se pode esperar.
Não sei mais tudo o que quero, nem tampouco tudo o que não quero. Também não sei se gosto de estar no meio-termo. Tenho, agora, somente um plano. E sem plano B. Se não der, vai no improviso.
Estou embasbacado com a capacidade que demonstrei de deixar, a maior parte do tempo, de lado o que me faz mal; ódio, angústia, dúvida, dor, raiva; nada disso faz parte de mim, agora. Minhas melhores companhias são a gratidão, a amizade, a honestidade e o amor livre.
Como dizia aquela música, "vou espalhar meu amor por aí!". E engana-se quem pensa no Eros. Tô é esbanjando alegria pra todos os que não estão felizes.
Porque de triste já basta eu.

2 comentários: