quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Só pra deixar registrado o pensamento...

É interessante o modo como buscamos pessoas aptas à serem os melhores pais, seja pelo físico (os homens buscam mulheres com grandes mamas e quadris largos e arredondados, enquanto as mulheres buscam homens de aspecto forte, visivelmente aptos a proteger elas e suas crianças), seja pelo psicológico (inevitavelmente buscamos àqueles que possuem as qualidades que queremos que o pai ou a mãe de nossos filhos tenham). Após encontrar alguém ao menos minimamente apto, passamos a simular a procriação e, sentindo a excelência de tal momento, buscamos simular mais frequentemente, mais repetidamente e com mais qualidade.
Entretanto, mesmo após toda essa busca pela paternidade/maternidade perfeita, evitamos a todo e (quase) qualquer custo chegarmos ao estado de pais e mães. Evitamos aquilo que tanto buscamos.
Paradoxal.
Perfeitamente humano.

2 comentários:

  1. Ta tirando essas pancas de onde thequila? hahahhaa

    Mas ficou legal, um dia conversaremos sobre isso e/ou filosofia, também.

    ResponderExcluir
  2. E buscamos tanto, que até o que decidimos ser e fazer das nossas vidas é pensando em nossa condição futura, e, sem querer, no que conseguiremos dar e ser para nossos filhos e parceiros.

    ResponderExcluir